Será que existe Saturno?
Aquela dor esteve sempre presente
Parece que é de antes d'eu nascer.
Então se Saturno existe, eu não existo
Tal a nossa diferença de tamanho
Sou um ser desprezivel.
Mas que dor?
Porque tudo parece tão real?
De onde vem a energia que mantém todo esse teatro funcionando?
Descubram o que quiserem os cientistas
Me importa saber porque descobriram.
Se aqueles sonhos de amor não eram meus
porque eram?
Porque gastam tanto tempo me ludibriando?
Eu, que não sou nada, não mando em nada!
Creio perfeitamente na inexistência e não pretendo preenchê-la.
Aposto mais fichas no meu sucesso ausente
E eu quero mesmo é voce
sempre que não estiver aqui.
Eu aceito o desafio de Saturno!
E o desafio a se pensar maior que eu
Já que tudo que o torna existente
Está contido dentro do espaço do meu ser.
Acredito em homens mais fortes que eu
Mas esses nunca serão meus inimigos.
Eu sou mais forte que meu Pai
Para seu orgulho
Para sua alegria!

Um comentário:

Raquel disse...

Grande, grande aquarela. E lindos versos como sempre, que espero não esquecer.